O câncer de pele representa 33% dos diagnósticos de câncer no Brasil , de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Conforme este instituto, cerca de 176 mil novos casos de câncer de pele surgem todos os anos. Atenta a esse alto índice, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) desenvolve, desde 2014, o movimento Dezembro Laranja, com o intuito de estimular a população na prevenção e no diagnóstico ao câncer da pele.

A entidade realiza sempre no último mês do ano, ações para lembrar como evitar o câncer mais comum no país e convida a população a compartilhar nas redes sociais uma foto vestindo uma peça de roupa laranja, publicando com a hashtag #dezembrolaranja.

Conversamos com a dermatologista santo-angelense, que é membro da SBD, Lislaine Bomm, sobre os cuidados necessários com a pele:

 

S.A.U!:O que pode causar o câncer de pele?

L.B.: A principal causa de câncer de pele ainda é a exposição solar inadequada, sem proteção e em horários inapropriados. Mesmo exposições solares intermitentes e ocasionais (porém com dano celular cumulativo na pele) podem, futuramente, causar problemas de pele como o câncer.

História familiar de câncer de pele, pessoas com pele clara e olhos claros e histórias prévias de queimaduras solares, estão entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento de câncer de pele.

S.A.U!: Quais são os tipos de câncer de pele?

L. B.: Existem três tipos principais de câncer de pele:

– Carcinoma Basocelular: o mais prevalente, menos agressivo e menor (ou quase nenhuma) letalidade. Lesões são inespecíficas, porem isso o acompanhamento dermatológico especializado é importante.

– Carcinoma espinocelular: é o segundo mais prevalente. Pode se desenvolver em todas as partes do corpo, embora seja mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo, pescoço etc. A pele nessas regiões, normalmente, apresenta sinais de dano solar, como enrugamento, mudanças na pigmentação e perda de elasticidade.

– Melanoma: tipo menos frequente dentre todos os cânceres da pele, o melanoma tem o pior prognóstico e o mais alto índice de mortalidade. Embora o diagnóstico de melanoma normalmente traga medo e apreensão aos pacientes, as chances de cura são de mais de 90%, quando há detecção precoce da doença.

S.A.U!: Quais são os cuidados necessários para prevenir o câncer?

L.B.: Usar chapéus, camisetas, óculos escuros e protetores solares.

Cobrir as áreas expostas com roupas apropriadas, como uma camisa de manga comprida e um chapéu de abas largas.

Evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16 horas (horário de verão).

Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.

Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou de diversão. Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo.  Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre. Ao utilizar o produto no dia a dia, aplicar uma boa quantidade pela manhã e reaplicar antes de sair para o almoço.

Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas (mudança de cor, formato, sintomas como coceira e sangramento).

Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses.

 

COMPARTILHAR